domingo, 12 de julho de 2009

Não apenas do somente



As vezes sutilmente eu queria poder escrever, sem que ao menos pudessem entender do que eu escrevo naquele momento. Mudar palavras e associar sentimentos para que o triste fosse passado em alegria, e a alegria fosse passada em mais festa ainda. Queria poder ser mais cômica em meus textos, e levar um pouco mais de alegria nas minhas palavras.

Nem sempre eu queria escrever de amor, ou do que aperta o peito. Não quero ter de fazer dos textos apenas lugares de desabafo, quero escrever também sobre todas as outras coisas que nos trazem alegria, não só do amor. E assim transmitir tudo isso em palavras.

Não somente quero escrever de amores platônicos, nem aqueles que nos tiram o sono. Entre tanto, não quero deixar de escrever sobre todos eles, mais também quero dar espaço para o que não me tira o sono, e sim me faz não querer dormir, para que eu possa viver mais uma vez todo o instante, da maravilha do escrever por paixão. Não apenas por desabafo, é dessa paixão que eu quero também escrever. Pois, um verso não é só de amor, nem é todo tristeza.

Para que minhas palavras possam ser e sejam todos os sentimentos. E assim poder escrever de tudo, de todos, do infinito, do que existe e do inexistente.

Poder gritar silenciosamente em cada estrofe de um poema, ou rir desesperadamente em mais um parágrafo de um texto.

Mas que todas as razões me levem a escrever, simplesmente na sutileza de um verso, ou no maciço parágrafo de um texto. Cheio de palavras que preencham as linhas, e dêem vida a cada rima.

Mas que cada um de todos os sentimentos, e que cada um dos fatos possam ser escritos. Não quero apenas falar de dor, ou fingir que minha vida só é composta de alegrias, não quero fazer dos meus versos, todo tristeza, todo amor, todo beleza, todo angústia e nem todo desabafo. Mais quero fazer do meu verso, um verso, e apenas um verso. E que nele caiba tudo, sem que transborde.

Nele poderei falar de todas as coisas, e assim chegarei a um poema, ou um texto, do qual não terá um rótulo. Nele então poderá se encontrar vários assuntos e sentimentos, ou assuntos que falem de sentimentos, ou simplesmente assuntos, assuntos diversos. O que vier, o que estiver, o que se sentir, o que criar, o que amar e odiar. Mas que nele eu possa encontrar espaço para tudo o que tiver que ser escrito.

4 comentários:

  1. Escrevemos "sobre isso" pois queremos passar o que estamos sentindo no momento e garanto nem sempre você escreverá sobre isso diversas fases ainda virão!

    ResponderExcluir
  2. Estou realmente orgulhosa de você! *-*
    ficou melhor do que eu imaginei que ficaria.
    Parabéns Mone!

    um beijo amiga.

    ResponderExcluir
  3. Oi Si!
    Adorei teu texto, adorei teu blog.. Ou melhor: adoro teus textos, vc escreve divinamente bem!

    Beijos, Dri!

    ResponderExcluir